• Carlos Macedo

Baat Jaam Dou ou Facas Borboletas, São feitas para cortar ou perfurar?

Atualizado: 28 de ago. de 2021

Se você também tem a grande duvida, se as tão famosas Facas Borboletas foram produzidas para golpes cortantes ou perfurantes, neste post, vamos te mostrar a real finalidade de acordo com cada formato de laminas.






Para poder compreender melhor a respeito das técnicas das facas borboletas, precisamos conhecer um pouco mais sobre o conceito histórico desta intrigante arma. Húdiédāo (蝴蝶 ) Facas Borboletas em Mandarim é um tipo de espada duplas originadas das cidades portuárias do sul da china ou em torno delas. Conhecida em Cantonês como Baat Jaam Dou ( 八 斬 刀) que pode ser traduzido como Facas de Oito Cortes ou como chamamos no meu estilo de Kung Fu o Hung Gar da Escola Punhos Unidos, de Wu Dip Seung Dou.

Clique aqui para saber mais sobre o Estilo de Kung Fu Hung Gar da Escola Punhos Unidos


A característica que define as Facas Borboletas ou Wu Dip Seung Dou é sua guarda em formato de D com o Quillon voltado para cima, na parte traseira da lamina. Outro fator importante é a empunhadura, geralmente elas tem meio-punho que cabem em uma única bainha lado a lado e podem ser sacados como se fossem uma única arma, desta forma sendo chamadas de Wu Dip Seung Dou, Quando a empunhadura ela é total, passa a ser chamada somente de Wu Dip Dou.

A primeira referência ao que certamente são húdiédāo (蝴蝶 刀) data de 1842:


“No dia 21 de março, Lin estava ocupado treinando 3.000 soldados, uma terceira parte dos quais consistia em homens de espadas duplas. Essas espadas gêmeas, quando na bainha, aparecem como uma arma grossa e desajeitada, com cerca de sessenta centímetros de comprimento; a guarda da mão continua reta, um pouco além do “forte” da espada, vira-se em direção à ponta, formando um gancho de cerca de cinco centímetros de comprimento.

Quando em uso, o polegar de cada mão é passado sob este gancho, no qual a espada está pendurada, até que uma torção do pulso traga a empunhadura ao alcance do espadachim. Chocando-se e batendo-os juntos e cortando o ar em todas as direções, acompanhando a ação com abusos, gritos barulhentos e caretas hediondas, esses terríveis heróis avançam, aumentando suas gesticulações e distorções de rosto à medida que se aproximam do inimigo, quando esperam que o inimigo se torne alarmado e voar antes deles.


Lin tinha grande fé no poder desses homens. "


P. 177-178.

J. Elliot Bingham. Narrativa da Expedição à China, do Início do Período Atual. Volume 1. Londres: Henry Colburn Publisher. 1842.


É digno de nota que este nome Baat Jaam Dou geralmente é mais usado no Sistema de Kung Fu Wing Chun mais precisamente na Linhagem de Ip Man. Em outros estilos estas mesmas facas são chamadas de Wu Dip Dou ou Wu Dip Seung Dou como mencionado anteriormente. Outro nome que se refere a esta faca mais pouco usado é o Baau Jaang Dou ou facas que vai até o cotovelo.


Ao que se refere historicamente é que as laminas esfaqueadoras eram a versão mais comum e usadas no sul china, assim como usadas por gangues e milícias chinesas, a versão que conhecemos hoje é a Picadora que é mais larga e menos pontuda.




Vamos discutir aqui os Prós e contras da versões Esfaqueadoras e Picadores.

Esfaqueadoras

Prós:

1 - Boa para Realizar estocadas e esfaquear.

2- Geralmente mais leve.

Contra:

1 - Não otimizada para cortar

2 - Falta de Peso

3 - Formato maiores de lamina



Picadoras

Prós:

1- Excelente para cortar

2- Mais pesadas

3- Formato Menores de Lamina

Contra:

1- Não otimizada para perfurações

2- Pesadas de mais





Aqui fica claro que esta comparação excessivamente simplificada, nenhuma dois design e versões tem o que a outra tem. è claro que hoje existem versões hibridas disponível como está fabricada sob encomenda pela Viver Marcial para um Sifu de Wing Chun.



Na verdade é mais sábio dizer que as Facas Borboletas tem as duas funções, isso irá depender do conceito técnico, conjunto de movimentações definido pelo seu estilo e Taolu.


Arnold Genthe e Will Irwin. Fotografias de Genthe da antiga Chinatown de São Francisco. Nova York: Mitchell Kennerley. 1913. (Publicado pela primeira vez em 1908). Uma digitalização de alta resolução da fotografia original pode ser encontrada na Biblioteca Bancroft, UC Berkley).

Por exemplo se o Taolu exige combinações de movimentos rápidos de cortes, com ênfase em desmembrar partes do corpo, movimentações circulares, pode-se afirmar que o estilo de lamina utilizada por este estilo é o Wu Dip Dou Picador com laminas mais largas e menos pontudas, com fio de corte e mais peso voltado para lamina.






Fotografia de 1860 de um “soldado chinês” com espadas borboleta. Assunto desconhecido, tirado por G. Harrison Gray.






Porem se seu estilo de Kung Fu utiliza movimentos mais de Estocadas com menos ênfase em cortes, movimentos rápidos e abertos, pode-se afirmar que este estilo busca como padrão laminas Esfaqueadoras ou Hibridas como vistos hoje.










Conclusão


Em meu ponto de vista afirmo que tudo depende de qual lâmina se adapta melhor a sua técnica, use facas que seu Sifu recomenda utilizar de acordo com o contexto tradicional da técnica. Lembrando que por sua vez, todas as facas picadoras ou retalhadoras são fabricados por encomenda de acordo com o Antebraço do praticante que está empunhando a arma. Este tipo de lamina eram usadas de forma dissimuladas escondidas dentro nas vestimentas por ser um modelo considerado civil. Diferente das Esfaqueadoras que por sua vez, eram fabricadas em escalas e não eram usada de forma escondida e sim usadas nas cintura mais utilizadas por militares conhecidas como Húdiédāo.


Para você qual modelo de lamina mais se adapta a sua técnica e qual delas gosta mais de usar?


Autor Carlos Macedo

Discípulo da Mestre Renata Balestrini, Professor de Kung Fu Hung Gar na Punhos Unidos, Sócio fundador da Viver Marcial, estudante e amante da Cultura chinesa, Diretor de eventos da Liga Cearense de Hung Gar ,Diretor de Marketing CFKW - Federação Cearense de Kung Fu Wushu.




36 visualizações2 comentários